sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

COMUNICADO IMPORTANTE

Informamos que neste sábado dia 11 02 2012 não haverá reunião do CREAJR-PI. As reuniões serão retomadas dia 25 02 2012, na qual, será entregue os certificados do II encontro estadual do CREAJR-PI, as camisas do CREAJR-PI e terá a participação de alguns dos membros do CAUJR-PI.



                                                                         Grato pela atenção.

 Postagem: Ary Santana

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Crea-Jr tem novos coordenadores

Ferramenta estimula a participação de futuros profissionais no sistema tecnológico
Crea-Jr tem novos coordenadores
Na reunião plenária da última segunda-feira, os conselheiros Paulo Afonso Alexandrino e Gilberval Ferreira da Silva foram indicados, respectivamente Coordenador e Coordenador Adjunto da Comissão Responsável pelo Crea-Jr, para um mandato de 01 ano, enquanto Pedro Henrique Santos Carvalho assume a Coordenação Estadual da entidade, em substituição a Pablo Santana, e Ary Paixão Borges Santana Júnior será o Representante Nacional da entidade.
Na opinião de Pablo Santana, “o Crea-Jr é uma iniciativa vitoriosa, que em muito engrandece o conhecimento sobre o sistema tecnológico, e que prepara, verdadeiramente, os estudantes da área tecnológica para a participação no universo das decisões que dizem respeito às atividades da engenharia”.
O presidente do Crea-Pi, Eng. Civil Paulo Roberto Ferreira de Oliveira acredita no Crea-Jr como uma instância de formação e renovação de compromissos com a comunidade tecnológica e seu futuro enquanto estrutura de ordenamento legal.
A seguir, os novos dirigentes do Crea-Jr Piauí:

Engenharia de Produção:
Dirigente: George Sousa Evangelista
Suplente: Wagner José Sousa Carvalho
Engenharia de Agrimensura:
Dirigente: Érica Viveira dos Santos
Suplente: Theresa Fernnanda de Sousa Barbosa
Engenharia Agronômica:
Dirigente: Nayana Alves Pereira
Suplente: Jéssica Lima
Engenharia Elétrica:
Dirigente: Ary Paixão Borges Santana Júnior
Suplente: Danniel Italo Soares de Moura Santos
Engenharia Civil:
Dirigente: Pedro Henrique Santos Carvalho
Suplente: João Victor Martins de Carvalho
Técnico:
Dirigente: José Ilton de Oliveira Filho
Suplente: Kaio Victor Silva de Sousa
Fonte: www.crea-pi@org.br
Reportagem: Paulo Chaves
Postagem: Ary Santana


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Em 2012,a empregabilidade para engenheiros será de 100%


De cada 100 vagas ofertadas no Brasil, 22 requisitam engenheiros. Trata-se da profissão com maior demanda no país atualmente, seguida de longe por administradores (14 vagas para cada 100) contabilistas (6 vagas para cada 100) e economistas (5 para cada 100). Os dados constam de pesquisa recentemente divulgada pela consultoria Ricardo Xavier, que revela ainda que de cada 22 engenheiros requisitados pelo menos metade é para o setor da construção civil.
Marshal Raffa: "Quanto mais qualificado for o profissional, mais ele será requisitado pelo mercado”.
Segundo Marshal Raffa, diretor executivo da consultoria, só a engenharia mecânicaé tão requisitada quanto a civil. “Os engenheiros ligados à construção civil têm fortalecido esta posição devido aos grandes eventos do mercado brasileiro (Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas). Para a execução destes eventos é necessário infraestrutura. Tem ainda os investimentos no ramo imobiliário e a promessa do governo de executar na prática o PAC 2″, diz Marshal.
A expectativa é que as engenharias, em especial a civil, tenham um nível de empregabilidade de 100% pelo menos nos próximos cinco anos. Até porque, há escassez de profissionais no mercado. O Brasil forma anualmente 8 mil engenheiros, mas, de acordo com Marshal Raffa, para suprir a demanda o país deveria, no mínimo, graduar cinco vezes mais engenheiros. “México e Coreia do Sul formam mais do que nós. De cada um graduado aqui, lá eles graduam dois e cinco, respectivamente”, diz.
O consultor, no entanto, alerta que, além de graduar engenheiros, o Brasil precisa colocar profissionais qualificados no mercado. “Há uma carência de profissionais formados, mas também, mais do que isso, uma carência de profissionais qualificados”, afirma. Por isso, a escala de empregabilidade tem sido a seguinte: 1º) Engenheiros com experiência; 2º) Engenheiros com mestrado e doutorado; 3º) Recém-formados. “Existe trabalho para todos, pois hoje o Brasil deve ter uma falta de cerca de duzentos mil engenheiros”, estima Marshal.
Mais concorrido
A demanda por engenheiros civis tem causado mudanças até dentro das universidades. Atualmente, o curso desponta como o mais procurado em algumas instituições. No vestibular Fuvest 2012, que qualifica para a Universidade de São Paulo (USP), a graduação em engenharia ofertada no campus de São Carlos, no interior paulista, foi a mais procurada pelos candidatos. Para os aprovados em 2011, a concorrência foi de 26,78 por vaga; para 2012, 52,27.
Entrevistado
Marshal Raffa, diretor executivo da Ricardo Xavier Recursos Humanos
Currículo

- Graduado em ciência da comunicação (fonoaudiologia) pela PUC Campinas
- Tem MBA em gestão empresarial, especialização em responsabilidade social e coach profissional formado pela Pro Fit & Corporate Coach U
- É docente nas disciplinas de gestão em serviços, gestão de pessoas (bacharelado) e docente em projetos e processos (pós-graduação)
- Possui 15 anos de experiência como headhunter e na área de planejamento de carreira.
Contato: imprensa@ricardoxavier.com.br / www.ricardoxavier.com.br
Fonte:www.cimentoitambe.com.br
Reportagem: Altair Santos
Postagem: Pedro Henrique